Menu

 

Quer viajar e não sabe para onde? A Consciência Jeans te dá uma super dica, vá para este patrimônio natural em Trindade, é um paraíso. Aproveite nosso Brasil.

trindade

Clique na foto e veja a matéria original.

O Patrimônio Natural de Trindade está localizado logo após a cidade de Paraty no estado do Rio de Janeiro, para quem vem do Rio de Janeiro e antes para quem vem de São Paulo, sendo encoberto por montanhas e florestas densas que são características da beleza natural desse destino e atraindo muitas pessoas ligadas a Natureza.

Ao entrar na estrada que liga a Rodovia Rio-Santos à vila de Trindade o visitante já começa a ter uma pequena noção de como será sua estadia nesse paraíso ecológico protegido por diversas APA’s e pelo Parque Nacional da Serra da Bocaina. Primeiro os visitantes começarão sua aventura passando na estrada pavimentada que corta o morro do “Deus-me-livre”, assim conhecido pela antiga dificuldade em atravessá-lo, principalmente em dias de chuva. A situação hoje está totalmente diferente pois a estrada está totalmente asfaltada. Ainda cercada de florestas por todos os lados, continua exigindo cuidados, por isso sugerimos atenção para evitar acidentes nesse trecho pois é comum encontrar carros trafegando e animais silvestres no local. Após aproximadamente 10 minutos na estrada que liga a Rodovia até a vila o visitante depara-se com a visão da vila de Trindade ao fundo envolta por montanhas e praias, é so o começo, muitas outras belas paisagens ainda estarão por vir. Na região existem diversas cachoeiras como da “Pedra que Engole”, piscinas naturais como do “Cachadaço” onde é possível ver diversas espécies de peixes, ilhas, praias desertas e algumas mais movimentadas como a do centro da vila. As praias da vila possuem alguns bares e restaurantes,  ao anoitecer o reggae ou forró são a diversão principal dos jovens turístas que frequentam o lugar. A vila de Trindade é pequena mas com ótimas opções para fazer um lanche ou almoço. Possui algumas pousadas, mas o forte de Trindade são os campings que estão espalhados por todo o lugar, inclusive para os mais aventureiros nas praias mais desertas e longe da civilização.

Fontes texto: Brasil turismo.

Fotos

http://fabiocabraldurso.blogspot.com.br/2010/05/vila-de-trindade-rj.html

1116230_10151740364016897_161366677_oClique nas fotos e veja a matéria original.

Um vazamento gigante parece estar consumindo o interior da igreja Abbey de Bellelay na Suiça. O líquido que flui é na verdade uma instalação do artista Romain Crelier. O trabalho do artista suíço, muitas vezes interage com a arquitetura,  ele procura para mudar a percepção média do espaço para além das expectativas normais. Este ano, ele foi contratado pela Fundação abadia de Bellelay abadia produzir uma peça contemporânea que cria um “diálogo com a arquitetura barroca.”
1084920_10151740364101897_1359953464_o

A obra, chamada “La Mise en Abîme”,  consiste em dois recipientes arredondados largos cheios de óleo de motor usado. Crelier opta por utilizar o líquido reciclado porque considera o trabalho em larga escala , criações irônicas de “pinturas monocromáticas utilizando uma substância desprezada.” Estendendo-se pelos corredores da igreja, o líquido preto, normalmente considerado espesso e oleoso, é apresentado de uma forma glamourosa. Dentro das estruturas  semelhantes a poças, os vislumbres do líquido brilhante com a luz, refletem o espaço. Reflexos que proporcionam aos visitantes uma visão de si mesmos, naturalmente, cercados pela arquitetura da igreja e instantaneamente se tornam parte da instalação interativa.
1147105_10151740363886897_353906089_o
A peça está atualmente em exposição gratuita no interior da Abadia-igreja de Bellelay, na Suíça, e pode ser vista até 16 de setembro de 2013.

 

O termo “La Mise en Abîme” alude a um processo de representação de um trabalho em uma obra do mesmo tipo, como um jogo de espelhos.

1097119_10151740363996897_271212270_o

Em forma de poças gigantes, as esculturas com a suas superfícies brilhantes de laca (graças às propriedades expressivas de petróleo) refletem o ambiente, permitindo que os visitantes interajam com a arquitetura da igreja pela a reflexão, para que, por sua vez,  tornem-se parte da própria escultura.
A instalação não só dispensa múltiplas emoções visuais e mistérios, mas também oferece um momento onde a escultura cria uma outra leitura do espaço.
Trabalhando em uma escala simultaneamente monumental e intimista, estas esculturas propiciam a exploração do espaço, o artista Romain Crelier propõe o engajamento conceitual com edifícios, bem como a sua experimentação com luz e sombra, forma e vazio, dentro e fora, superfície e profundidade, abstração e figuração, reflexão e absorção.

Post baseado em textos e fotos
postados por Katie Hosmer em 18 de Julho de 2013 às 10:00

e HilaHamidi 4 de agosto de 2013

http://www.abbatialebellelay.ch

8118924473_778238f753_z

O projeto é  simples e resumido nas fotos abaixo. Foi inspirado nos sacos de papel kraft e transforma um velho jeans em uma bolsa para você usar como quiser !

Apenas uma observação antes de começar: o tamanho da bolsa, obviamente, é determinado pela largura das pernas das calças. Por isso, eu não recomendo usar calças finas. Calças retas são perfeitas para o trabalho!

Você vai precisar de: um velho par de calças, um cinto, agulha e linha, e uma máquina de costura (embora você possa fazer esse projeto inteiramente à mão)

8118926781_a0c0abc1fb_zClique nas imagens e veja a matéria original

Se você quiser fazer as alças da mochila use a outra perna.

O tempo e o esforço que você usa para reciclar seu jeans velhos valem a pena. A reciclagem não só aumenta sua diversão e a sua poupança, mas também demonstra a sua preocupação com o meio ambiente.

Fonte

http://pm-betweenthelines.blogspot.com.br/2012/10/denim-snack-bag-recycling-project.html

Que maravilha!

20130603163257500169a
Clique na imagem e veja a matéria original

Concessionárias de veículos de Sorocaba, a 92 km de São Paulo, terão de plantar uma árvore para cada carro zero vendido na cidade. A lei municipal que prevê a medida benéfica ao meio ambiente foi aprovada em 2008, mas somente agora passará a ser cumprida.

O projeto “Um veículo, uma árvore” foi lançado nesta segunda-feira, depois de um acordo entre a Secretaria Municipal do Meio Ambiente e as trinta concessionárias de veículos que operam no município. O plantio simbólico de 50 mudas no Parque dos Ipês, no Jardim Santa Marina, zona norte da cidade, marcou a entrada da lei em vigor.

Com base no crescimento da frota de veículos, a Secretaria estima que as concessionárias terão de plantar 24 mil árvores por ano. De acordo com a secretária Jussara de Lima Carvalho, com o plantio das mudas, as empresas dão um passo para atingir metas de sequestro do dióxido do carbono, gás responsável pelo chamado efeito estufa, emitido pelos veículos automotores. Elas poderão usar a adesão ao projeto ambiental como argumento na venda dos veículos.

As concessionárias ficarão responsáveis pela compra, plantio e manutenção das mudas. Caberá à Secretaria indicar as espécies, o tamanho das mudas e o local do plantio. Nos últimos quatro anos, o plano de arborização de Sorocaba plantou mais de 500 mil mudas na cidade.

Fonte Agência Estado
http://www.em.com.br/app/noticia/nacional/2013/06/03/interna_nacional,398513/sorocaba-plantara-uma-arvore-para-cada-carro-vendido.shtml

Nascida como cidade dos príncipes…

Rua-das-Palmeiras joinvilleFoto http://www.nossajoinville.com.br/160anos/

Joinville ainda é das bicicletas


Crianças  indo e voltando de bicicleta  – com  rodinhas na  roda  traseira  e  capacete  na  cabeça  –  pelos bairros, praças e parques da cidade. Operários  e  executivos  dividindo o mesmo espaço nas poucas  ciclovias  joinvillenses  para  chegar  ao trabalho.  Tudo  isso  sem  o  barulho do  motor  de  carros,  motocicletas aceleradas,  caminhões,  ônibus  e nem  poluição.  A  cena  descrita  lhe parece   utópica? Pode ser, se consi-derados os dias atuais, mas não se, de  fato, vivêssemos na “Cidade das Bicicletas”.

Em 1950,  Joinville  foi agraciada com esse  título. Na época, a cidade com pouco mais de 18 mil habitan-tes  tinha  oito  mil  bicicletas.  Hoje, estima-se  uma  população  de mais de 500 mil habitantes e cerca de 250 mil  bicicletas. Motivo mais  do  que justo para que o título seja mantido. Na cidade, a média é de 7,8% de viagens diárias dos joinvilenses fei-tas de bicicleta, enquanto a média nacional levantada pelo Ministério das Cidades é de 1,75%. “O interes-sante é que 90% destas viagens de bicicleta na  cidade  são  feitas para ir  e  vir  do  trabalho”,  destaca  Vla-dimir  Constante  Tavares,  diretor-executivo  da  Fundação  Instituto de Pesquisas e Planejamento para o Desenvolvimento Sustentável de Joinville (Ippuj).

Outra média  interessante  é  a de  uma  bicicleta  para  cada  dois habitantes.  Dado  signifcativo, principalmente  se  levado  em consideração  que,  nos  dias  de hoje, diferente da década de 1950, apresenta-se  um  número  exage-rado de carros e motos.

Mesmo  assim,  a  boa  e  velha “magrela”  ainda  está  na moda.    O aumento – lento, porém continuado – da  instalação de ciclovias nos úl-timos anos, tem contribuído para o aumento  signifcativo  dos  usuários de bicicleta.

Atualmente  Joinville conta com 67 quilômetros de ciclovias. Outros 83  quilômetros  estão  inclusos  em projetos  já elaborados pelo  Ippuj e serão  contemplados  nos  projetos Pró-Transporte e BNDES III. Por ser um método de transporte com baixo ou nenhum impacto am-biental, e baixo custo de aquisição e manutenção, o uso das bicicletas é incentivado pelos governos.

Joinville tem também um museu da bicicleta

A “Bicicleta do Mês” é escolhida pelos visitantes presenciais do museu, entre as peças do acervo expostas no MUBI. Na medida em que nossas páginas com peças do acervo forem aumentando, os internautas que acessarem nossa página, poderão, em futuro próximo, participarem da escolha.

A bicicleta eleita trata-se de um modelo especial “fora de série”, produzida pelo artista plástico paulistano, Israel Nicolau, um expoente no ramo das bikes diferenciadas. Esta peça foi toda confeccionada com vergalhão Gerdau G-50, material específico para o segmento da construção civil. Sua base geométrica é o de uma bicicleta masculina aro 26, equipada com freio contra-pedal, ano 2004.

ESTADO: original/conservada
ORIGEM:
Brasil
ACERVO:
MUBI

joinville rua das palmeiras

Fontes:

http://www.museudabicicleta.com.br/index.html

Clique aqui para baixar a reportagem completa: história, fotos, gráficos.

Retirado de Jornal Notícias do Dia, 07 e 08/02/09

Última atualização ( Ter, 10 de fevereiro de 2009 18:38 )

 

Arraial do Cabo, no Estado do Rio de Janeiro, conta com praias exuberantes e deslumbrantes, além de uma belo mar de águas cristalinas e transparentes, com uma rica e abundante vida marinha.

 

Vale citar que por causa de um fenômeno de rara ocorrência, Arraial do Cabo, que está situado 170 Km ao norte da capital do Rio de Janeiro é definido como um dos melhores pontos de mergulho do litoral de todo o país. O fenômeno é chamado de ressurgência e traz para a superfície as águas muito frias e profundas, que são ricas em nutrientes e provoca uma enorme e rica abundância de vida marinha.

As praias paradisíacas de Arraial do Cabo contam com águas limpinhas, verdes e super cristalinas, com áreas de Mata Atlântica e de restinga praticamente intocadas, além de várias outras paisagens super variadas. Você vai ficar encantando ao conhecer todas as atrações incríveis e naturais de Arraial do Cabo.

Aqui vai mais uma receitinha bem brasileira…

bolo de fuba - set 2013 foto Paulo Falcão

 

4 xícaras de leite

1 e 1/2 xícaras de fubá

1/2 xícara de farinha de trigo

1 pacotinho de queijo ralado

2 colheres de margarina

1 colher de sopa de fermento

1 e 1/2 xícaras de açucar

4 ovos

Bata tudo no liquidificador e asse em forno pré aquecido. É maravilhoso com aquele cafezinho… para receber amigos, estudar, conversar etc…

bolo de fuba com café - foto Paulo Falcão

Fotos  Paulo Falcão

 

O Arroz de carreteiro é uma receita brasileira muito tradicional, pode ser feito com arroz branco, mas fica delicioso e mais rústico com arroz integral.

2 pacotes de carne seca de 500 gramas,
2 xícaras de arroz integral
queijo ralado
salsinha
sal
aho e cebola

Desalgue a carne seca por uma noite, no outro dia corte em cubinhos e ferva com salsinha picada, escorra e use para refogar junto com o arroz, assim: frite a cebola, o alho a carne e depois o arroz , cubra com seis xícaras de água e cozinhe até ficar macio. Se for necessário acrescente mais água. Depois de pronto sirva com queijo ralado e salsinha picadinha. Para seis pessoas.

Arroz de carreteiro integral
Arroz de carreteiro integral
Bambu renovável e resistente.
Bambu renovável e resistente.

Bambu atualmente é um dos materiais mais interessantes que possuímos…

 

O Bambu cresce com facilidade e rapidez  e se reproduz facilmente. Na antiguidade o bambu foi a principal matéria prima na fabricação de móveis no estilo das pessoas das aldeias, mesmo agora é mais acessível. Porque o preço de bambu é mais barato que o da madeira, além disso a madeira é um recurso natural que necessita muito tempo para ser  renovado. Elena Goray e Tönges Christoph são designers holandeses  que trabalharam com o distribuidor de bambu na Alemanha Conbam e criaram um banco feito de bambu, o nome é Pile Isle Bamboo Bench Furniture.

Bambu um material acessível no Brasil e existem várias pessoas trabalhando com este produto para construção e também mobiliário , para aprender consulte www.ebiobambu.com.br ou www.bambubrasileiro.com/ebiobambu.

Fontes http://designerhenriq.wordpress.com/2012/05/08/bambu/

www.greenschool.org

http://www.revistatechne.com.br/engenharia-civil/108/artigo31710-1.asp

 Lecy C. Picorelli-Bioarquitetura e Bioconstrucao.