1116230_10151740364016897_161366677_oClique nas fotos e veja a matéria original.

Um vazamento gigante parece estar consumindo o interior da igreja Abbey de Bellelay na Suiça. O líquido que flui é na verdade uma instalação do artista Romain Crelier. O trabalho do artista suíço, muitas vezes interage com a arquitetura,  ele procura para mudar a percepção média do espaço para além das expectativas normais. Este ano, ele foi contratado pela Fundação abadia de Bellelay abadia produzir uma peça contemporânea que cria um “diálogo com a arquitetura barroca.”
1084920_10151740364101897_1359953464_o

A obra, chamada “La Mise en Abîme”,  consiste em dois recipientes arredondados largos cheios de óleo de motor usado. Crelier opta por utilizar o líquido reciclado porque considera o trabalho em larga escala , criações irônicas de “pinturas monocromáticas utilizando uma substância desprezada.” Estendendo-se pelos corredores da igreja, o líquido preto, normalmente considerado espesso e oleoso, é apresentado de uma forma glamourosa. Dentro das estruturas  semelhantes a poças, os vislumbres do líquido brilhante com a luz, refletem o espaço. Reflexos que proporcionam aos visitantes uma visão de si mesmos, naturalmente, cercados pela arquitetura da igreja e instantaneamente se tornam parte da instalação interativa.
1147105_10151740363886897_353906089_o
A peça está atualmente em exposição gratuita no interior da Abadia-igreja de Bellelay, na Suíça, e pode ser vista até 16 de setembro de 2013.

 

O termo “La Mise en Abîme” alude a um processo de representação de um trabalho em uma obra do mesmo tipo, como um jogo de espelhos.

1097119_10151740363996897_271212270_o

Em forma de poças gigantes, as esculturas com a suas superfícies brilhantes de laca (graças às propriedades expressivas de petróleo) refletem o ambiente, permitindo que os visitantes interajam com a arquitetura da igreja pela a reflexão, para que, por sua vez,  tornem-se parte da própria escultura.
A instalação não só dispensa múltiplas emoções visuais e mistérios, mas também oferece um momento onde a escultura cria uma outra leitura do espaço.
Trabalhando em uma escala simultaneamente monumental e intimista, estas esculturas propiciam a exploração do espaço, o artista Romain Crelier propõe o engajamento conceitual com edifícios, bem como a sua experimentação com luz e sombra, forma e vazio, dentro e fora, superfície e profundidade, abstração e figuração, reflexão e absorção.

Post baseado em textos e fotos
postados por Katie Hosmer em 18 de Julho de 2013 às 10:00

e HilaHamidi 4 de agosto de 2013

http://www.abbatialebellelay.ch

Comentário

Comentários