Menu

Fala de marketing, comportamento e moda para o varejo de confecções e acessórios

 Além da oportunidade de conhecer e comprar as coleções de moda 2013 de importantes marcas nacionais e internacionais, lojistas que visitarem a São Paulo Prêt-à-Porter – 3ª Feira Internacional de Negócios para Indústria da Moda, Confecções e Acessórios (13 a 16 de janeiro, Expo Center Norte, São Paulo) terão também um momento imperdível de atualização profissional. O Fórum de Moda preparado pelos organizadores da feira terá 7 palestras gratuitas para o varejo, abordando temas de marketing, comportamento, mercado e moda.

 A gerente de negócios da São Paulo Prêt-à-Porter, Tahiana Bainton, destaca que o Fórum acontece de maneira simultânea e integrada à feira. “As apresentações serão realizadas em um auditório dentro do pavilhão. De 13 a 15 de janeiro serão duas palestras por dia e no dia 16 de janeiro (último dia de evento) uma apresentação.

 Silvio Chadad, consultor da São Paulo Prêt-à-Porter e curador do Fórum de Moda, destaca o enfoque prático das apresentações. “O empresário do varejo que participar e/ou enviar um membro da equipe para assistir às palestras sairá do evento com a sensação de ter participado de um curso de imersão 100% voltado ao varejo de moda”.

O Fórum de Moda São Paulo Prêt-à-Porter conta com apoio do Istituto Europeo di Design (IED), Grupo UseFashion e da Universidade Anhembi Morumbi.

 

PROGRAMA

13 de janeiro

16h00: Panorama do mercado de luxo no Brasil e no mundo

Amnon Armoni – coordenador do curso de pós-graduação em Direção de Criação em Moda e professor do curso de MBA Gestão de luxo, da Fundação Armando Alvares Penteado (Faap). É consultor no segmento de luxo para várias marcas de destaque no cenário do varejo.

18h00: Preview Verão 2013/2014: direcionamento criativo

Aissa Basile – autora do livro Como pesquisar Moda na Europa e nos Estados Unidos. Atua como consultora cobrindo os principais desfiles internacionais e como diretora criativa para várias tecelagens. Palestrante do Senac Moda Informação desde o início do projeto, também criou o núcleo de moda da Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (Abit) orientando empresas do segmento têxtil no desenvolvimento de coleções.

 

14 de janeiro

13h00:  Comportamento de consumo da mulher contemporânea e a influência das novelas

Patrícia Rodrigues – especialista em moda e comunicação com mais de 19 anos de experiência e vasto conhecimento em todos os processos da cadeia produtiva de moda. Diretora de Pesquisa do Sistema UseFashion de Informações, responsável pelo direcionamento dos projetos de pesquisa e decodificação das tendências junto a toda a equipe de especialistas.

 

Fórum de Moda São Paulo Prêt-à-Porter

 fala de marketing, comportamento e moda

para o varejo de confecções e acessórios

Além da oportunidade de conhecer e comprar as coleções de moda 2013 de importantes marcas nacionais e internacionais, lojistas que visitarem a São Paulo Prêt-à-Porter – 3ª Feira Internacional de Negócios para Indústria da Moda, Confecções e Acessórios (13 a 16 de janeiro, Expo Center Norte, São Paulo) terão também um momento imperdível de atualização profissional. O Fórum de Moda preparado pelos organizadores da feira terá 7 palestras gratuitas para o varejo, abordando temas de marketing, comportamento, mercado e moda.

A gerente de negócios da São Paulo Prêt-à-Porter, Tahiana Bainton, destaca que o Fórum acontece de maneira simultânea e integrada à feira. “As apresentações serão realizadas em um auditório dentro do pavilhão. De 13 a 15 de janeiro serão duas palestras por dia e no dia 16 de janeiro (último dia de evento) uma apresentação.

Silvio Chadad, consultor da São Paulo Prêt-à-Porter e curador do Fórum de Moda, destaca o enfoque prático das apresentações. “O empresário do varejo que participar e/ou enviar um membro da equipe para assistir às palestras sairá do evento com a sensação de ter participado de um curso de imersão 100% voltado ao varejo de moda”.

O Fórum de Moda São Paulo Prêt-à-Porter conta com apoio do Istituto Europeo di Design (IED), Grupo UseFashion e da Universidade Anhembi Morumbi.

 PROGRAMA

 13 de janeiro

16h00: Panorama do mercado de luxo no Brasil e no mundo

Amnon Armoni – coordenador do curso de pós-graduação em Direção de Criação em Moda e professor do curso de MBA Gestão de luxo, da Fundação Armando Alvares Penteado (Faap). É consultor no segmento de luxo para várias marcas de destaque no cenário do varejo.

18h00: Preview Verão 2013/2014: direcionamento criativo

Aissa Basile – autora do livro Como pesquisar Moda na Europa e nos Estados Unidos. Atua como consultora cobrindo os principais desfiles internacionais e como diretora criativa para várias tecelagens. Palestrante do Senac Moda Informação desde o início do projeto, também criou o núcleo de moda da Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (Abit) orientando empresas do segmento têxtil no desenvolvimento de coleções.

14 de janeiro

13h00:  Comportamento de consumo da mulher contemporânea e a influência das novelas

Patrícia Rodrigues – especialista em moda e comunicação com mais de 19 anos de experiência e vasto conhecimento em todos os processos da cadeia produtiva de moda. Diretora de Pesquisa do Sistema UseFashion de Informações, responsável pelo direcionamento dos projetos de pesquisa e decodificação das tendências junto a toda a equipe de especialistas.

17h00: O novo luxo: mesa-redonda – Moderação Silvio Chadad

Edgard Octávio – é um dos principais cenógrafos de moda do Brasil, responsável pela ambientação de importantes lojas de luxo do País. Estudante de arquitetura nos anos 1970, se tornou darling da moda quando precisou ajudar um amigo vitrinista. A partir daí, passou a trabalhar com todos os estilistas do grupo Moda-Rio. Foi na Daslu, onde atua desde 2005, que descobriu a capacidade para desenvolver conceito visual de forma ampla. Edgard Octávio assina a cenografia do salão TopStyle São Paulo Prêt-à-Porter.

Silvio Passarelli – economista, administrador de empresas, especialista em planejamento, pós-graduado em Marketing e especialista em Criatividade Aplicada, pela Universidade de Santiago de Compostela. Consultor em estratégia, marketing, competitividade e criatividade para os mercados luxo e premium. Atua no magistério superior desde 1973, é diretor da Faculdade de Artes Plásticas, da Fundação Armando Alvares Penteado (Faap), e diretor da Silvio Passarelli Luxo e Cultura Ltda.

 Victor Megido – além de conferencista, trabalhou na área de propaganda e marketing de empresas multinacionais e hoje atua como Managing Director, da agência de comunicação e marketing Armosia Brasil. Foi professor convidado da Universidade La Sapienza e do IED Roma e é escritor na área avançada de marketing e comunicação, com livros publicados na Itália: Le mille facce del marketing (2008), Brand imagination (2007) e Le nuove terre della pubblicità (2005). Autor do livro Luxo for All (2011) sobre o novo conceito de luxo e as estratégias para abordar a nova classe média brasileira.

15 de janeiro

13h00: Relacionamento além da loja: novas ferramentas digitais

Karina Kotake – fundadora da KOK Fashion Lab, agência de marketing digital de moda 360° que atende grandes marcas do setor. Formada e pós-graduada na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e na Universidade Anhembi Morumbi, é especialista em Inteligência digital nos segmentos de moda, beleza e lifestyle. Hoje, também é criadora de cursos e palestras sobre marketing digital, varejo online e cool hunting em tais segmentos.

17h00: Marketing de Moda: gestão de vendas e criação de valor

Silvio Chadad – formado em Administração de Empresas pela Fundação Armando Alvares Penteado (Faap), com especialização em Marketing de Moda. Trabalha no setor desde 1975, é diretor da Resolução Assessoria de Moda e tem trabalhado com algumas das maiores empresas do setor. Palestrante na área de Gestão de negócios em moda tem atuação destacada para várias marcas nesse segmento com participação ativa nas maiores feiras de moda do mercado brasileiro. Atualmente é consultor do Salão TopStyle da feira São Paulo Prêt-à-Porter e curador do Fórum de Moda do mesmo evento.

16 de janeiro

11h00: A loja que vende: o ambiente que encanta

Otávio Pereiral – mestre em História da Ciência, pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP); pós-graduado em MBA em Varejo de Moda pela Universidade Anhembi Morumbi; bacharel em Letras, pela Universidade de São Paulo (USP). Coordenador da pós-graduação na área de moda e professor, da Universidade Anhembi Morumbi; professor e consultor nas áreas de gestão de moda, pelo Senac-SP e consultor para as empresas: Quatsi/Jarmod, WZ e Sebrae-MG.

A programação oficial está disponível no portal www.saopaulopretaporter.com/ em A Feira – Fórum de Moda.

*Programa sujeito a alterações

SERVIÇO

São Paulo Prêt-à-Porter 2013

3ª Feira Internacional de Negócios para Indústria de Moda, Confecções e Acessórios

13 a 16 de janeiro de 2013 – Expo Center Norte – São Paulo

Horário: das 10h às 20h

A base dos tecidos reciclados usados pela Consciência Jeans é o reaproveitamento de garrafas peet e também de sobras de tecidos de confecções 100% algodão. As garrafas pet são separadas por cores para depois serem transformadas em fibras de poliéster. Os retalhos de tecidos também são separados por cores e desfibrados. As resistentes fibras de poliéster são combinadas com o algodão reciclado criando um fio já colorido que junta a resistência do poliéster e a maciez do algodão. O resultado final é um tecido de qualidade tão boa quanto o confeccionado com matéria prima não reciclada, mas com uma diferença fundamental: um inestimável valor social e ecológico. Este é um investimento em sustentabilidade e conciência ambiental. Compartilhe esta atitude.

Fonte : http://www.etexecologica.com.br/

Em Buenos Aires lei prevê que casas e edifícios passem a usar águas pluviais para tarefas cotidiana

 

O controle do uso de água é um problema de longa data para a população mundial. Mas uma iniciativa da cidade de Buenos Aires, Argentina, pode ser uma boa opção para lidar com a futura escassez do recurso. Uma  lei municipal exige que grandes edifícios e casas passem a coletar água da chuva.

Um sistema de drenagem por meio de tanques, tubos, caixas e bombas tornará possível que os moradores passem a utilizar as águas pluviais para tarefas que não necessitam de água tratada, como limpeza de casas, calçadas, carros e jardins. Assim, espera-se diminuir o gasto de água da rede de abastecimento e evitar enchentes em épocas chuvosas.

Está sendo colocado em prática, inclusive, um plano de comunicação para o fomento à utilização da água das chuvas, de maneira que a população possa entender que grande parte do uso de água não requer que ela seja potável.

Catraca livre Felipe Blumen em 03/10/12

Andalucia – Na usina Gemasolar, ninguém se preocupa quando o céu está nublado: graças a uma tecnologia única no mundo, a energia acumulada quando o sol brilha permite produzir eletricidade mesmo à noite ou em dias chuvosos.

A central, que entrou em operação em maio passado, não passa despercebida na planície andaluza, no sul da Espanha.

Já na autoestrada, entre Sevilha e Córdoba, percebe-se sua torre iluminada, na qual estão colocados 2.650 painéis solares de 120 metros quadrados cada, dispostos em um imenso círculo de 195 hectares.

 

“É a primeira usina solar do mundo que trabalha 24 horas por dia, sendo assim funciona tanto de dia quanto de noite!”, explica Santiago Arias, diretor técnico da Torresol Energy, que administra a instalação.

Seu mecanismo é “muito fácil de ser explicado”, garante: os painéis, ao refletir a luz do sol sobre a torre, transmitem a ela “uma concentração de energia equivalente a 1.000 vezes a que recebemos em terra”.

A energia é armazenada em um enorme recipiente de sais dissolvidos, a uma temperatura superior a 500 graus. Os sais vão servir, em seguida, para produzir vapor e este aciona uma turbina, gerando assim a eletricidade, como numa usina termelétrica solar clássica.

É esta capacidade de estocar energia que torna a Gemasolar tão diferente, permitindo que “à noite continuemos a produzir eletricidade com a energia acumulada durante o dia”, precisa Santiago Arias.

Assim, “utilizo esta energia da forma que interessa a mim, não a ditada pelo sol”.

Veja matéria completa em :

http://exame.abril.com.br/meio-ambiente-e-energia/noticias/na-andaluzia-usina-solar-funciona-ate-de-noite

“No período de seca há muito sol e no de chuvas, temos as hidrelétricas. Temos uma complementaridade muito boa. “

0,,35059533,00

Como funcionam placas fotovoltaicas

Primeiro a célula solar, dispositivo que vai receber luz solar e transformar em energia elétrica, deve ser fabricada. Dentro dela são criados vários processos físicos e químicos. Ela é uma lâmina fina e quabradiça de silício, por isso é colocada entre de chapas de vidro. Uma célula solar sozinha produz meio volt. Várias células devem ser associadas em série para formar uma placa a fim de que seja obtida a energia necessária.

A placa é colocada no telhado da casa. Ela capta a luz e produz energia elétrica durante o dia. Um aparelho chamado inversor é que vai transformar corrente contínua em alternada, ou seja, energia solar em elétrica. “É um eletrodoméstico que em vez de consumir energia vai produzi-la”, explica Moehlecke.

Se não há ninguém consumindo energia no momento em que ela é gerada, o medidor de luz passa a girar ao contrário. Não daria para zerar a conta, porque temos que ter uma forma de ter energia para a noite, assim há um balanço entre o consumo da fonte tradicional de energia.

“Para armazenar energia teríamos que usar bateria. No nosso caso, usaríamos as hidrelétricas como bateria. Se não usamos a energia das hidrelétricas, podemos fechar os reservatórios que eles enchem. No período de seca há muito sol e no de chuvas, temos as hidrelétricas. Temos uma complementaridade muito boa. “

O investimento atual para abastecer uma residencia com energia solar seria em torno de R$20 mil, tendo como base preços europeus. Isso renderia em torno de 130 quiilowatts-hora por mês, de acordo com cálculos feitos na cidade de Porto Alegre. A residência média gaúcha consome 160 quilowatts-hora por mês, de acordo com o pesquisador. Hoje, com materiais importados, levaríamos cerca de 12 anos para recuperar o investimento.

 

Veja a matéria completa na revista Galileu :

http://revistagalileu.globo.com/Revista/Common/0,,EMI116820-17770-1,00-BRASIL+FAZ+PLACA+SOLAR+MAIS+EFICIENTE+A+CUSTOS+MENORES.html

 

A Consciência Jeans é comprometida com o desenvolvimento de uma sociedade mais consciente e de um meio ambiente mais limpo e saudável. Baseada no respeito e dedicação à preservação da natureza, a Consciência Jeans desenvolveu a calça jeans ecológica!

Hoje muito se fala sobre moda ecológica, mas nenhuma marca desenvolveu ainda um produto ecologicamente correto com a mesma quantidade e qualidade de recursos alternativos quanto a Consciência Jeans. Continuar lendo →